Lutar contra a corrente ou a dinâmica da infelicidade

Não vale a pena lutar contra a corrente que a vida impõe. Ouve-se amiúde as frases de “deixar fluir”, “era porque tinha que ser”, “está tudo certo”, principalmente nas redes sociais que estão impregnadas de frases feitas e vivências ilusórias que nunca existiram.

Como uma montra, engalana-se a vida e as gentes, vendendo-se bem-estar, sucesso, beleza e felicidade.

Tarde ou cedo, a vida real bate à porta e testa até ao átomo todas as construções idealizadas de cada uma das pessoas. Fica o que é verdadeiro, essencial, frutuoso e importante, após se ter passado o teste.

Não há vida sem desafios

É licito não querer vivenciar a dor, a perda, a transformação, ou seja, a essência da impermanência da vida. Não se controla a dinâmica da vida das sociedades e das culturas.

O todo grupal cria um movimento inconsciente, dinâmico, fortíssimo, que obedece a leis ocultas e se impõem na dimensão individual de cada um, alinhado-se com algo Maior, embora às vezes não pareça.

A pergunta surge frequentemente:

– Que posso eu fazer para mudar esta situação? Como posso sofrer menos?

Sempre que o medo abre as suas asas na mente e na vida de cada um, surge uma necessidade de controlo e de ter garantias. O mundo New Age está cheio de filosofias que tentam dar garantias!

Controlar e garantir é apenas adiar o sofrimento! Ou torná-lo incomensuravelmente maior. É criar uma dinâmica de infelicidade que vem pelo atrito e pela cristalização, pela resistência.

A resposta a estas perguntas vem através de duas palavras chaves: “aceitação” e “desapego”.

Disponibilize-se internamente para perceber isto, tome os dois Florais de Anura com o mesmo nome (Floral de Anura N.31 – Aceitação / Floral de Anura N.13 – Desapego). Não tenha medo… nada lhe vai ser tirado que lhe pertença, se é que alguma vez tivemos realmente alguma coisa, a não ser a nossa alma e o nosso coração.

Os Florais de Anura actuam subtilmente e não a/o tornam uma pessoa diferente, mas ajudam-no a ultrapassar aquilo a que eu chamo a dinâmica da infelicidade. Tornam-no/a uma pessoa mais próxima da sua verdadeira essência. Ajudam-no/a a conhecer-se melhor.

Para início desta semana, deixo aqui esta reflexão:

O que está a tentar controlar na sua Vida? O que quer garantir que aconteça? Veja bem se vale a pena e se não entrou na dinâmica da infelicidade… lutar contra a corrente da vida exige um esforço inglório, insano e completamente improdutivo. Pode funcionar durante um tempo, mas tarde ou cedo a impermanência vai fazer-se sentir.

Seja livre, seja uno com a Vida!

Uma boa semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *